quinta-feira, 17 de março de 2016

Acadêmicos da UCDB iniciam atividades de extensão universitária na Semadur

Na tarde desta quinta-feira (17), o Centro de Educação Ambiental Leonor Reginato Santini (CEA Polonês) recepcionou os acadêmicos de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) nas atividades de contribuição à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur) da Prefeitura de Campo Grande. No local, foi realizado o lançamento das atividades 2016 de extensão universitária: Saberes em ação. Os acadêmicos também participaram da oficina “Modelos de coleta e triagem de resíduos e transporte de recicláveis, ministrada por engenheiros sanitários ambientais da empresa Deméter Engenharia.

Segundo Aparecida Cristina Piccolo, chefe da Divisão de Fiscalização e Política Sustentável e Educação Ambiental, as atividades que os acadêmicos irão iniciar propiciam experiência e aprendizado para somar às ações da Semadur “Por meio de troca de saberes científicos e populares, a extensão universitária promove ações necessárias ao meio ambiente urbano na Capital”, afirma.

Para Fernanda Olivo, engenheira sanitarista ambiental, a escolha do tema da oficina propõe agregar conhecimento aos alunos em práticas do Plano de Coleta Seletiva de forma didática “A iniciativa de abordar a temática de triagem de resíduos sólidos e transporte de recicláveis, é extremamente relevante para que os alunos de Engenharia conheçam as maneiras corretas a serem adotadas na triagem e apresentar os mercados favoráveis de forma a beneficiar o transporte”, destaca.

Para Gabriel Noah Ribeiro, 20 anos, estudante, as informações apresentadas na oficina são importantes para o aprendizado na questão ambiental de resíduos sólidos “Acredito que a separação de resíduos nos ajuda na reciclagem, reutilização, diminuindo assim a quantidade de lixo depositado nos ambientes urbanos”, aponta. Já para Milina de Oliveira, 21 anos, estudante, os benefícios da coleta seletiva auxilia a comunidade em geral “Muitas famílias dependem da separação de resíduos. As pessoas deveriam se conscientizar e separar os materiais que podem ser reciclados, auxiliando os catadores que dependem desta coleta para sua renda familiar”, conclui.
Joana Lima DRT/MS 1540

Nenhum comentário:

Postar um comentário